Fazendo as pazes com o passado.

>

Nem sempre sentimos falta do que passou. Às vezes encontrar o passado nos dá uma incrível sensação de alívio…
Imaginem vocês, meus caros e raros, receber um email com fotos de um ex locão na balada e acompanhado de figuras no mínimo duvidosas. Tá, no começo a gente até se assusta, mas por mílésimos de segundo, porque rapidamente você pensa: “Nooooooossa, isso NÃO me pertence mais” e solta aquela célebre frase: “FULANO, quem diria?”
Respirar aliviada enquanto observa a imagem na tela do computador é uma coisa quase que redentora… Aquela dor de cabeça não dói mais em você!!!


E aí? Atire a primeira pedra quem nunca passou por isso…

Todos nós tivemos relações de amor ódio pelo menos uma vez na vida. Você pode gostar da pessoa, até amar mesmo, mas essa pessoa não te dá só motivos pra amar e admirar… A convivência faz com que a pessoa se mostre exatamente como ela é, com defeitos, manias, frescurinhas e afins. Nessas horas nos vemos num impasse, uma difícil escolha entre o amor e a admiração ou as manias e frescurinhas… Nenhuma é menos difícil. Posso garantir!
Eu, por exemplo, tenho ojeriza a gente arrogante, intolerante e fora da realidade. Descobri isso convivendo com seres completamente insuportáveis no tocante à tais qualificações. Foi um trauma… Mas um trauma que acabou ajudando até a me conhecer melhor. Hoje faço questão de não me aproximar de gente assim e tudo parece melhor.
Não sei se com os homens acontece o mesmo, inclusive deixo aqui um espaço para a manifestação masculina!
Atualmente tratamos a sincronia de um relacionamento como uma prisão, uma cobrança… Enfim, sempre temos (e eu me incluo) mil motivos pra não ‘enfrentar’ um relacionamento… (Mas isso é assunto pra outro post). Creio que a falta da verdadeira sincronia acaba deixando as coisas meio turvas, deixa os defeitinhos e manias parecendo uma pontadinha de dor de cabeça que vem só de vez em quando.
Quando você dá de cara com o passado na sua frente e vê alguém aparentemente inteligente e divertido e, ao mesmo tempo, percebe o olhar triste e depressivo dele que acabava por contaminar a relação de vocês, deixando tudo turvo e por mais que ele insista em mostrar pra todo mundo que é capaz, que é importante, que consegue tudo que quer, descobre que só você é ‘gabaritada’ pra saber que tudo que aparece na sua frente esconde um boneco de lego, pequeno e facilmente desmontável.

E é nesse momento que você capta a mensagem e entende porque acabou ou porque não ‘deu certo’ ou porque não tinha que ser…
Com o tempo percebemos certos detalhes e conseguimos ver além das pessoas… Raramente aquela perfeição inicial resiste a esse olhar sem paixão.
Assim, você percebe que aquele cara que sonhava em ser músico profissional, usava isso pra legitimar uma preguiça ridícula de acordar cedo ou ainda se ele era um quarentão totalmente dependente e usava isso pra legitimar os ‘cuidados’ com a família. Esse tipo de conclusão é igualmente triste e importante, porque nos ajuda a ter um norte. Traumatiza, mas faz com que a gente entenda porque jamais daria certo.
Mas, o mais importante é que você vai poder olhar para o presente, ver a foto na tela do computador e acredite, você não sentir a menor falta daquele tempo.

Bjinhos sem saudades
=*

Anúncios

8 thoughts on “Fazendo as pazes com o passado.

  1. >"E é nesse momento que você capta a mensagem e entende porque acabou ou porque não 'deu certo' ou porque não tinha que ser…" É isso!Sempre quando parece que vou começar a sentir saudade do passado, começo a lembrar de certas coisas e chego a conclusão de que realmente NUNCA daria certo, por mais difícil que seja admitir isso, ainda mais se for um passado recente.Amei o post!!Beijo!!

  2. >"se ele era um quarentão totalmente dependente e usava isso pra legitimar os 'cuidados' com a família." Esse sou Eu HEHEHEEH!!!Muito bom mesmo "goia " tens o dom da escrita.Tio Duda .Bjão

  3. >Eu não poderia deixar de comentar amiga, porque senti na pele o peso do passado, por pouco tempo, mas senti.E pode acreditar, hoje me sinto totalmente livre de um passado que um dia me fez sentir feliz, mas hoje eu sei que aquilo podia ser tudo, menos felicidade!Parabéns pelo texto, tenho orgulho de ser sua amiga.Bjos!

  4. >Certa feita, numa aula de Psicologia do Consumidor, escutei a seguinte frase:"A expectativa é a maior arma. Mas tanto pode ser usada a seu favor como contra você. Parcimônia é tudo."Quando nascemos, deveríamos ser obrigados a escutar diariamente o seguinte mantra: "Vida: Aprecie com moderação." Destarte, saberíamos que a adrenalina de hoje é a serotonina de amanhã…Mas é isso, Grória: Vivendo e aprendendo a jogar, nem sempre ganhando nem sempre perdendo mas… Aprendendo a jogar.Beijos de Rubí,Bosco.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s