Por acaso você sabe com quem está falando?

A moda dos desprezíveis

Olá, tudo bem?

Pois é amigos, eu acreditava que o próximo post desse empoeirado blog seria algo mais propício para a época, mas, como ainda falta MUITO pra vida ser do jeito que a gente quer, vou despejar aqui uma última experiência “natalina”.

Um certo indivíduo, possivelmente não satisfeito com a sua própria vida, resolveu me abordar na rua e me interpelar como se toda a autoridade do mundo estivesse em seu poder. Perguntando sobre diversos assuntos, ele procurava sempre os direcionar para a minha pessoa. Lógico que as perguntas eram completamente pessoais e eu não conseguia entender onde, exatamente, a conversa iria desembocar.

Percebi então que aquele indivíduo era alguém com quem eu já havia cruzado em outro remoto momento da minha vida… Tão remoto, vejam vocês, que eu simplesmente apaguei da mente, dada inclusive, a sua insignificância. Mesmo assim, continuava a me interpelar com a imponência de um sábio rei.

Mal sabia que, com o retorno da minha parca memória, sobre esta pobre figura, vieram também as lembranças de suas aprontações juvenis. Um jovem sem escrúpulos, de índole duvidosa e, principalmente, de uma origem mais do que humilde. O que me causava estranheza, levando em consideração seu comportamento atual.

Eu, com toda a educação recebida de mamãe, resolvi deixar que ele se enroscasse em sua própria teia de perguntas, tramada justamente para dar o bote em minha pessoa… Ele falou, perguntou, questionou e eu, bem… Eu dei com os ombros, virei as costas e o deixei falando, rosnando, grasnando sozinho.

Creio que não o tenha satisfeito, pois ouvi em seguida a pergunta que me fez parar e voltar para responder… “Por acaso você sabe com quem está falando?”

Ao que eu prontamente respondi: “Claro que sei… Eu estou falando com um moço, que depois de muito mimado não consegue assumir que ainda tem necessidades completamente primárias e acredita ser melhor do que todos que o cercam. Além disso, eu falo com um moço (sim porque HOMEM, na minha terra, é outra coisa) que acredita entender de assuntos que realmente deveria, devido ao seu ramo profissional, mas que não sabe nem quem inventou a teoria da relatividade. Eu falo com um moço que tem aspirações profissionais duvidosas, no tocante ao sentido de honestidade e integridade. Falo ainda com uma criança que não saiu dos cueiros, porque quando a situação fica realmente complicada, ele corre para os braço$$$ da mamãe, fato este que faz questão de jogar para baixo do tapete.”

Ao responder com toda delicadeza inerente à minha pessoa, virei as costas novamente e desejei com o âmago do meu ser, nunca mais cruzar com tão desprezível criatura.

Segui meu caminho e logo encontrei uma barraca cheia de morangos e meu dia estava perfeito!

Espalharei entre todos meus morangos!

Anúncios

One thought on “Por acaso você sabe com quem está falando?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s